12 janeiro 2011

amarmarandar

do décimo quarto andar
a casa grita assovios
pelas frestas esquecidas
e o bichano invisível
resmunga cada pisão no rabo

do mar
o vento traz
o ensaio da escola de samba
que balança como copa
de mangueira despenteada

do verbo amar
meu coração ressona só
e muito bem acompanhado.

2 comentários:

  1. Gostei do poema, sim, mas ADOREI o título! bj

    ResponderExcluir
  2. :)
    soa bem, né? podia existir essa palavra...

    ResponderExcluir